segunda-feira, outubro 10, 2005

Oh mar que me acompanhais!
Que vedes esta deslealdade
Esta estupidez!
Assististes a minha simplicidade
Que se manifestou crédula
Àquele que julguei ser distinto!

Oh mar que aí estás!
Deixa-me verter meu ódio,
Gritar minha irritação,
Encher-me de cólera
Que são os sentimentos que manifesto
Àquele que para mim faleceu!

Oh mar! Oh que ingenuidade!
Horas a fio dissipei admitindo teu queixume,
Elevando falsas inquietações.
Amei aquilo que acreditei que eras
Fui impelida pela tua mentira
Afinal eras alguém fútil!

Oh mar! Como expressar?
Que direi àquele em que outrora acreditei?
Ora sei que mentirosos és,
E odeio-te, piamente!
A raiva preencheu minha paixão
E sinto repugnância por te encontrar!

Oh mar! Oh vida!
Deixa-me distante daquele que desprezo,
Que censurarei contra todas as forças
Que projectarei para as chamas,
Sabendo que não as apagarás
E ficarás com esta padecente da mentira!

4 comentários:

Fábio disse...

Não sei se estou outra vez a cometer uma má interpretação, mas acho que este poema fala um cadito sobre mim (embora eu espero que não). :-( Sei que nunca mais estive na net, pois até tenho evitado entrar por razões pessoais e devido a isso nunca mais pusemos a nossa conversa em dia. Este poema é de fácil compreensão, e não é preciso o dicionário, já que parece que neste dia não tavas virada para palavras dificeis.

Cláudia Nóbrega disse...

"O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor" Fernando Pessoa

Cláudia Nóbrega disse...

Respondendo ao comentário: todos os poemas são, invevitavelmente, exageros da realidade e muitas vezes situações fictícias!
Agora não percebo como te identificas com o poema!
Achas mesmo que sentimentos como "raiva", "ódio", "irritação", "cólera" se justificam por uma pessoa que não nos deu o mínimo motivo para tal? Ainda para mais pelo simples motivo de nunca mais termos "falado", eu não te cesuro por isso!
Desculpa se de alguma forma te fiz pensar que expressava tais sentimento por ti, mas não era, de todo, minha intenção!

Cláudia Parreira disse...

O Poema é lindo, sem dúvida! mas tbm é fortissimo :) n sei s é esta caracteristica k m faz gostar do poema, mas é bem provável [ gosto das coisas/sentimentos Fortes, tlvez pk os sentimentos fortes, normalmente, são os mais sinceros ;) ] Mtos Parabéns Cláudia, o poema é fabuloso! é caso para dizer k temos Poeta [ ou poetisa ] **Bjinhuis**