quinta-feira, abril 30, 2009

A caminho do desconhecido…



Se há uma coisa que eu gosto é de viajar. A sensação de viajar é semelhante àquela que se apodera de nós quando vamos a um restaurante e o funcionário coloca-nos à frente um prato com muito bom aspecto.

Tudo indica que aquela comida estará deliciosa, porque tem aspecto de o ser, mas só no momento em que, efectivamente, colocamos o paladar em acção, é que podemos tirar as devidas ilações.

Algumas vezes a comida está, de facto, deliciosa e deleitamo-nos com cada bocado daquele manjar dos deuses. Outras, porém, o paladar não faz jus ao aspecto espampanante que nos delicia (somente) os olhos.

É assim que eu me sinto quando vou viajar, sinto-me em vias de “provar” algo cujo aspecto é extraordinariamente inebriante. Sinto o mesmo arrepio que me percorreu o corpo quando fiz slide pela primeira vez. Ainda me recordo do cenário: subi até o cimo de uma pequena cascata e deslizei por entre as montanhas, finalizando o percurso num pequeno ribeiro poucos metros abaixo. Foi uma experiência tão interessante que eu acabei por repetir pouco tempo depois.

Existem também aquelas viagens que fazemos sem sair do local onde nos encontramos e, apesar disso, tudo parece tão real na nossa mente que é como se estivemos, de facto, perante aquele cenário por nós idealizado. É como imaginar o Benfica a ser campeão… os festejos efusivos… e depois damo-nos de conta que não estamos lá, que o Benfica não ganhou o campeonato e, apesar de tudo, acreditamos que isso é verdade, porque para nós é verdade e ninguém que diga o contrário porque nós nem queremos saber.

É assim que eu vejo as viagens, como um campeonato que está mais que ganho, mesmo quando estou na última posição da tabela classificativa e sinto-me orgulhosa por isso, apesar de ao sair do estádio ser contemplada com os adeptos a acenar-me com lenços brancos.
Para a próxima época há mais, descansem!

4 comentários:

Wesley Sampaio disse...

realmente viajar, é a melhor coisa do mundo, conheçer novo lugares, novos ares, pessoas, culturas, comportamentos, acaba até se tornando um estudo de vida onde volta até mais vivido;

Non sei se conheçe, mais se tiver oportunidade, conheça o Brasil, um ótimo lugar a se viajar um dia de férias, como Portugal também seria, e saber de toda essa ligação.

Brasil - Portugal

Zabour disse...

Viajar sem sair do lugar tem as sua maravilhas, mas em nada se compara com o viajar fisicamente, aquele viajar onde se conhecem nos lugares, cheiros, costumes...
Eu adoro viajar, e agardeço todso os dias por ter saúde e possibilidade de poder fazer pelo menos uma viagem todos os anos a agum sitio especial. Este ano Croácia, Eslovénia e Motenegro...e duas viagens na gaveta, uma a Barcelona e outra a Amsterdão...

Queres vir?

Beijinhos

Cláudia Nóbrega disse...

Wesley Sampaio:

Muito obrigado pela visita e comentário.

Concordo contigo, viajar é, sem dúvida, uma forma de aprendizagem.

Não conheço o Brasil, mas sei que tem lugares espectaculares que merecem bem uma visita. Não estou a pensar fazê-lo num futuro próximo, mas quem sabe um dia...

Cláudia Nóbrega disse...

Zabour:

São destinos muito tentadores, sem dúvida. Quem sabe se no próximo ano eu não me junte ao teu grupo de viagem... é uma possibilidade.

Este ano tenciono viajar cá dentro e, possivelmente, conhecer os Açores... vamos ver como organizo a agenda!

Bom feriado e fim-de-semana.